quarta-feira, 2 de fevereiro de 2011

Modelos de santidade e perfeição

Modelos de santidade e perfeição
Padre David Francisquini


Ao escrever faz algum tempo o artigo “Até que a morte os separe”, sobre o matrimônio indissolúvel, prometemos comentar o papel de São José e de Nossa Senhora na Sagrada Família. Ele como modelo exímio de todas as virtudes paternas, e Ela como exemplo das mais sublimes virtudes maternas, dignas da Mãe de Deus.
Com efeito, um aspecto simbólico de São José é a sua vigilância e cuidado em relação à Sagrada Família. Pai adotivo do Menino Jesus e esposo de Maria Santíssima, ele tinha todo o direito que um pai tem sobre o filho. Seu amor, sua dedicação, seu desvelo, sua integridade de chefe de família, seu temor de Deus, eram características salientes de sua vida familiar.
Ao prover com sabedoria às necessidades da mais excelsa das famílias da qual ele era o chefe, São José passou a representar a luz que brilha sobre todos os lares cristãos disseminados pela vastidão da terra. Nunca se ouviu dizer que algum chefe de família tenha a ele recorrido e não tenha encontrado solução para os reveses deste vale de lágrimas.
Impossível olhar para o casto esposo de Maria Virgem e não encontrar nele força, constância e perseverança de remover montanhas, predicados necessários e indispensáveis para um chefe de família de nossos dias em face de um mundo “todo posto no demônio”, que se lança contra a instituição da família para abater esta obra-prima de Deus.
As mães poderão encontrar na humilde Virgem de Nazaré, Mãe de Deus e Mãe das mães, a excelência das mais sublimes virtudes para enaltecer o seu lar com dignidade e heroísmo de verdadeira mãe cristã. A Santíssima Virgem é uma fonte inexaurível onde todas as mães sorvem os mais salutares e eficazes ensinamentos de fé, respeito, amor, modéstia, resignação, desvelo na educação dos filhos, e tantas outras virtudes que engrandeceram o lar de Nazaré.
Ela – Mãe de Deus porque Mãe de Jesus Cristo que é Deus – obedecia a São José, que era menos do que Ela em santidade e perfeição. Imaculada, sem qualquer nódoa do pecado original, gerou o Filho de Deus e Lhe tributou o mais perfeito amor de que uma criatura seja capaz. Eis o exemplo de mãe e esposa!

Tomei o espaço de meu número habitual de linhas e não tratei ainda figura central da Sagrada Família que é o Menino Jesus!